Recurso à força

Para impor a sua vontade e tomar o controlo da cidade, nada melhor do que a utilização brutal da força. Convencidos de que a violência será a solução, os Vortex recebem com grande prazer C Beast, uma criatura implacável. Face a isso, os Montana podem contar com Tino, outra espécie de criatura igualmente implacável. Noutro local da cidade, os Piranas apoiam-se em Ector, enquanto Burdock se junta aos Roots.

BURDOCK – Roots

Burdock passou vários meses no seio da Junta, em missão secreta, para aprender as suas técnicas de combate e o domínio das armas mais aperfeiçoadas. De volta aos Roots, utiliza esta experiência para elaborar o seu canhão de flores, uma arma implacável que envia alegria e felicidade a quem for visado.

C BEAST – Vortex

Face à má vontade dos clãs de Clint City, que recusam deixar-se dominar, Dregn decidiu utilizar uma das suas armas de destruição maciça: o C Beast. Esta criatura de cristal maciço e superpotente, que não é muito prática em tempo normal, é conhecida por suportar muito mal as transferências temporais que a deixam doida de raiva…

TINO – Montana

De vez em quando, acontece que inconscientes escolhem recusar as ofertas do Don. Nestas situações, Giovanni, Aldo ou outros encarregam-se de resolver o problema calmamente. Mas depois de resolvido o problema, é necessário livrarem-se do corpo e quando não têm ao seu alcance betão ou um rio, Tino é a melhor escolha.

ECTOR – Piranas

No barco, Ector está encarregado da missão mais importante e mais delicada: a gestão da reserva de rum. Bastaria enganar-se ligeiramente e levar pouco rum para a campanha no mar para que se declarasse um motim e para que, para restaurar a ordem, Bloodh tivesse de “separar-se” de uma parte da tripulação (em pleno mar, claro).

Alô alô pessoal fixe! Sim senhor, já não tínhamos uma semana assim há algum tempo.

C Beast, uma besta, principalmente em Survivor! Só é pena o mínimo de potência ser tão alto, mas ainda assim inferior á sua própria.

Tino, não é uma carta de sonho mas devido ao seu bónus e danos um óptimo bluff, sem duvida mais virada para elo por ter pouca potência. A mona ou o Óscar juntamente com esta carta podem fazer maravilhas;)

Burdock, só lhe falta 1 de dano para ser perfeito, mas a arte desta carta compensa tudo. Até deve dar gosto tê-la na nossa mão XD

Ector uma valente 3* para os pirana devido aos danos que são o ponto fraco do clã, mesmo a potência está bastante boa!

Bem está tudo por esta semana, fiquem bem ! 😉

Surpresa à vista

Os habitantes de Clint City sabem-no bem, um passeio na cidade sempre reservou um lote de surpresas. Mas com as últimas chegadas à cidade, a situação parece ter atingido um novo patamar. Os All Stars acolhem Spudd, uma mascote descontrolada, enquanto Serena, a nova Ulu Watu, patrulha as praias no dorso de um golfinho. Saho, um novo aluno muito particular, junta-se aos Skeelz, enquanto que os Rescue têm um novo assistente melómano: Lothar.

SERENA – Ulu Watu

Desde muito pequena, Serena é apaixonada por golfinhos. Tem uma assinatura na Dauphin Magazine desde os 5 anos e guardou apaixonadamente cada número. Todas as noites, volta a ler uma antes de adormecer. Juntar-se aos Ulu Watu para defender os golfinhos foi a decisão mais fácil de tomar em toda a sua vida. Os inimigos dos golfinhos só têm de se portar bem.


SPUDD – All Stars

Spudd é a mascote dos Raging Groundhogs, a equipa de basquetebol dos All Stars. Enquanto os All Stars impõem a sua lei no terreno (90% de vitórias nas 12 últimas épocas), ele impõe a sua nas bancadas, ocupando-se à sua maneira dos adeptos que não encorajam suficientemente a equipa, sem falar dos doidos que querem encorajar a equipa adversária.

SAHO – Skeelz

Quando era apenas uma criança, Saho perdeu-se no bairro chinês e acabou por aterrar numa ruela deserta, em frente a uma fonte. Após ter bebido um pouco de água dessa fonte, perdeu os sentidos e acordou em casa. Nunca mais voltou a ver a fonte, mas, desde então, quando está molhado, produz-se nele uma mudança muito “surpreendente”.

LOTHAR – Rescue

Para Lothar, ser assistente na enfermaria dos Rescue é um trabalho perfeito. Pode ouvir a sua “música” a fundo e tem tempo para ensaiar com a respectiva banda (Dragon of Killer Destruction Death). À partida, não tem lá muito o perfil tipo dos Rescue, mas parece que é sobrinho de um dos principais membros do clã, embora ninguém queira admiti-lo.

Boas tardes, noites ou dias pessoal,

mais uma semaninha mais umas cartinhas =P.. ora bem não foram extraordinarias mas tambem não me parece que sejam tão más como as têm pintado.

Serena, boa carta para t2 pois juntamente com a lulabee pode fazer frente a qualquer SOB que lhe apareça,

Spudd, só é pena a falta de danos, mas tirando isso uma carta extremamente sólida, ainda por cima com a marina quase sempre banida.

Lothar, tem os seus problemas, mas com os danos que tem pode facilmente fazer bluf, o seu maior problema sem duvida são os SOB’s, pois mesmo contra SOA’s, o clã tem boas cartas para balancear o deck (glosh, vinny, beverly) ..

Saho, a meu ver a pior da semana… muito pouca potência, e sem bonus nem poder que a ajude torna-se muito vulneravel contra praticamente todos os maniuladores.

bem, até à proxima! fiquem bem 😉